Nossa história começou há muito tempo atrás. Mascarini, marceneiro por profissão, produzia alguns modelos em HO como hobby, alguns de madeira ou fórmica, mas sem motivo comercial. Segismundo, engenheiro eletrônico por profissão e sempre produzia, também como hobby, modelos com grande precisão e qualidade.

Em 2006, com a união desses dois ferreomodelistas, surgiu a ideia de produzir modelos em pequena escala, semi artesanalmente para atender a exigência de parcela bem específica de usuários: modelos de ferrovias brasileiras com alto grau de detalhamento e mecânica de precisão. Entre os materiais pensados para execução, foi escolhido o latão, um metal com grande flexibilidade formado de cobre e zinco. O primeiro desafio seria o modo de produção, porque ambos trabalhavam de maneira artesanal. A opção natural foi o processo de photoetching (foto corrosão), um sistema de precisão para recorte de metais. Após o modelo ser desenhado e projetado em Auto Cad ou Corel Draw (Programas de edição gráfica), cada peça é detalhada sendo então produzido, por processo gráfico, um filme transparente do desenho. 

    Esse filme é levado para firmas especializadas que passam o desenho para a chapa de metal usando um processo fotográfico. A chapa já preparada é submetida a um banho de ácido que corrói todas as partes expostas mantendo o contorno do desenho. As peças que não podem serem feitas por estes processos são fundidas em latão ou usinadas em torno mecânico. 

    Após o aperfeiçoamento desta técnica, lançamos a 1ª locomotiva, a Vanderléia.  Mesmo com o grande detalhamento, seria necessário alguém que pintasse e desse a característica esperada para o modelo. Então Anderson dedicou-se à pintura e detalhamento das locomotivas e recentemente na produção e projeto dos novos modelos. São modelos desenvolvidos por ele todos os carros de passageiros e vagões de cargas, além das locomotivas G12 e G12 cabeça de saúva.

     Posteriormente lançamos a locomotiva BOX C-C, com várias melhorias de produção, em relação a Vanderléia.

        Com a expansão dos pedidos das locomotivas, produzimos alguns vagões de cargas. Em 2008, lançamos o vagão prancha, abrindo novas portas para esse mercado. Entre 2009 e 2011, a produção de vagões e locomotivas crescia rapidamente, surgindo então os primeiros carros de passageiros como o Bagagem de Madeira da Companhia Paulista em 2009.

    Ao longos dos anos, as adaptações fizeram com que a qualidade e a tradição fossem consideradas em 1º lugar para o lançamento de modelos. Atualmente trabalhamos com cerca de 35 modelos e alguns acessórios.

    Esperamos atender todas as exigências dos ferreomodelistas que buscam tradição e qualidade.

    Obrigado por conhecerem um pouco mais da nossa história!

    Equipe Segis & Mascarini